segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Carta pra minha jovem amiga Ângela

Minha jovem amiga,
Você é jovem sim... Muito jovem...
Quer engolir o mundo, mas com certeza, sente às vezes que o mundo é vai lhe devorar. E nessa luta vai você. Um dia aqui, um dia ali. Lendo tudo que lhe cai nas mãos e sonhando com a Faculdade... com o futuro, tão incerto.
Escolha seu curso com cuidado e atenção. Não por ser o mais fácil, ou o menos procurado, ou o que vai lhe proporcionar um emprego maravilhoso em pouco tempo. A concorrência hoje é brutal! Todos querem tudo. Às vezes você se sente atropelada e pensa que que não vai conseguir vencer tantos obstáculos. Outras vezes bate uma enorme vontade de desistir, pois o caminho do sucesso tem muitos lugares tentadores para estacionar. Sei que isso não vai acontecer com você.
Soube que passa pela sua cabecinha fazer Letras. E eu lhe pergunto: - Vai fazer o quê???? Dar aulas de inglês, pra uma turma que não está nem aí para estudo, com salário pequeno, a frustração enorme de não ser bem isso que pensava dessa carreira... Os colegas de trabalho insatisfeitos, sem vontade de trabalhar, brigando com o desinteresse da molecada, a falta de valorização da carreira do magistério, a imensa vontade de se aposentar antes mesmo de completar 2 anos numa "maldita " sala de aula.
Sim...É assim que funciona . Dar aulas de inglês, seja no segundo grau ou na faculdade exige muito pouco de uma vida acadêmica plena, com a qual você sempre sonhou. Todo mundo já morou nos Estados Unidos, na Nova Zelândia ou no Canadá. Falam inglês... E pronto! Não têm o mínimo interesse e fazem o calvário do professor.
Veja você mesma... Com as poucas aulas do colégio, a Internet e algumas músicas já se vira bem na língua do Príncipe Charles. Pra que mais??? Busque aprimorar o que você já sabe com uma boa professora de conversação ou mesmo um intercâmbio e coloque isso como um patrimônio a ser investido na profissão que você escolher.
Lembre-se que profissão é coisa pra ser vivenciada por no dia-a-dia, durante muito tempo. Um longo tempo! Tem de ser algo prazeroso e que também lhe remunere dignamente. Dizem que dinheiro não traz felicidade, mas é bem mais fácil ser infeliz com uma boa casa, um carro zero, viagens, um bom plano de saúde e com ele no bolso.
Pense muito, cara amiga... O futuro chega rápido. E que você pise no futuro com o coração cheio de tranquilidade por ter escolhido uma profissão que vai lhe dar o retorno que você sempre sonhou.
Um grande beijo, com o meu carinho, JU
Abaixo, transcrevo um trecho escrito por um professor ainda entusiasmado com a educação e o magistério, mas já enfrentando todas essas barras que lhe falei nessas "mal traçadas linhas"...
ALUNO E O PROFESSOR . E A AULA
Há um interessante e indiscutível milagre: a aula.
Uma parte, os alunos, não a quer, preferem os feriados, as emendas, “subir aula”, sair mais cedo, evitá-la, enfim.
A outra, não tem interesse nela: salários baixos, desimportância social, desestímulo, - preferem almoçar ou dormir mais cedo: o corpo docente.
Pois bem, os dois componentes pilares, sem os quais ela (a aula) não pode existir - alunos + professores - não a desejam. E ela, miraculosamente e triunfante, acontece.. E bem, e enorme, e competente, e eloqüente; o milagre acontece!
É claro que só pode ser “coisa” de Deus, a aula.
(Professor José Laércio Paolinelli - Outubro, 1996)

Um comentário:

Grá Esteves disse...

É por isso que hoje sou fonoaudióloga, viu Angela??
Conclui a graduação em Pedagogia, mas preferi fazer a graduação em Fonoaudiologia logo em seguida! Pense com carinho na sua escolha! Sorte na vida! Beijo pra vc, tia Ju.